sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Contos & Crônicas: A Ligação

Olhou o celular: 20h15. A essa hora ele já tinha voltado do trabalho. Começou a discar o número dele, mas desistiu. Tinham se falado muito nos últimos dias. Estava com medo de que enjoasse dela ou qualquer coisa assim.

Colocou o celular de lado e resolveu navegar na internet. E se entrasse no MSN? Ele podia estar on line, ver que ela entrou e chamá-la para uma conversa... ou não. E se não a chamasse? Bom, seria um sinal de que realmente deveria sumir uns dias. E se ele chamasse... inciativa dele. Não haveria problemas. Conectou.

Percorreu a lista de contatos. 20h45. Ele estava off line. Por que não esperar mais um pouco? Não faria mal a ninguém! Mas fez... cada novo aviso de amigo que acabava de entrar o coração dela quase saía pela boca. 21h20. Decidiu que já tinha esperado demais. Ele não ia entrar.

Desconectou, mas não parou de pensar nele. O que será que estaria fazendo agora? Será que também pensava nela? Será que... Não! Refletir sobre essas coisas só a deixava mais ansiosa. Três dias. Prometera a si mesma que ficaria três dias sem falar com ele, só para aumentar a saudade. Só para...ela saber se ele sentia sua falta. E esse era apenas o primeiro dia. Definitivamente não podia ficar assim. Um livro! Um livro a acalmaria.

Escolheu um bem grosso, deitou-se na cama e começou a ler, mas sempre precisava voltar os parágrafos. Ele estava tirando toda sua atenção. Olhou novamente para o celular. 21h38. Não. Calma. Você não vai ligar para ele. Três dias passam rápido, dá para aguentar. Mas não consegue se concentrar. E se mandasse uma mensagem? Mensagem não é ligar.

Pegou o celular e já ia começar a escrever quando parou. Não podia fazer aquilo. Três dias sem qualquer tipo de comunicação. 21h46. Voltou a ler, mas nem prestava atenção. Lembrou da última vez que estiveram juntos. O cheiro dele, o toque, o calor, o sabor. Droga! Precisa ligar para ele ou vai enlouquecer. 22h03. Pois que enlouqueça. Fez um acordo consigo mesma. Nem isso consegue cumprir? Consegue sim. Você é forte.

Desistiu do livro e foi ver TV. Não precisava gastar neurônios para relaxar. Passando pelos canais parou em um filme. Já havia começado, mas aquele ator parecia tanto com ele... Vai ligar. Não! Não ligue. Você é uma mulher forte, madura, decidida. 22h20.

Mudou de canal. Desenhos. Isso. Não dava para pensar nele assistindo Pernalonga no Cartoon. Se bem que o Pernlonga é tão engraçado e ele também é. Isso a lembra de um dia quando ele... Não! Foco, mulher. 22h40. Não ligue. Respire fundo.

Decidiu desligar a TV e dormir. Foi pior. Deitada no escuro só o via a sua frente. 23h15. Não aguenta, acende a luz e pega o celular. Agora a luta é maior. Ligar ou não? Discou e apagou o número muitas vezes. Já respirava ofegante. E agora? Correr o risco de ser grudenta ou passar a noite em claro querendo falar com ele? 23h30.

Meu Deus! Precisa ouvir aquela voz ou vai surtar. Mas e se o que eles tinham perdesse o encanto porque ela estava sempre por perto? Dúvidas, dúvidas... O que fazer?

Nas mãos, o aparelho já estava úmido do suor dela. 00h05. Pronto! É isso! É uma louca, não aguenta. Precisa falar com ele mais do que necessita do ar para respirar. Discou depressa os números que há muito já havia decorado. Colocou ao ouvido o aparelho e esperou.

Tocou uma vez. O coração acelerou. Duas. Suas mãos tremiam. Três. Ai, meu Deus! De repente os toques pararam e o cérebro quase pára junto. Uma voz respondia ao telefonema. “Sua chamada está sendo encaminhada para a caixa de mensagens...”

7 comentários:

  1. Por que será que mulher tem realmente essas crises de ansiedade, por que se importam tanto com telefonemas, e por que quando esses telefonemas acontecem, elas as vezes não atendem e se fazem de difícil??/ coisas so nosso universo sexual

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Acho tão interessante isso nas mulheres.
    Voces são 8 ou 80, muito feliz ou muito tristes, apaixonadas de olhos brilhando, ou infelizes ao extremo. Não digo olhando como um espécime, mas olho com admiração por sentirem coisas com tanta convicção!

    Homem de 2indices

    ResponderExcluir
  3. É infelizmente é assim que funciona mesmo!!!! tenso isso!!!!

    ResponderExcluir
  4. Texto ótimo. Me identifiquei, não só com a história, mas também com o estilo da escrita.

    Parabéns pela inspiração!

    ResponderExcluir
  5. Black Ninja (Explosivo)7 de fevereiro de 2012 02:20

    Fiquei angustiado com a situação da menina. A tensão em cada ato. Excelente texto!

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. heheheheh... mulheres... só mudam o endereco! sim, somos todas exatamente assim! aff, eu q o diga!
    mto bom, gosto mto da tua escrita, tu sabes. tenho iniciado em contos, mas como nao tenho base teorica ainda vou levar um tempo pra fazer bem feito. mas eu chego la! :)

    beijos

    ResponderExcluir
  7. É uma realidade ...o telefone celular , fixo , móvel ou orelhão muitas vezes é algo mais importnate do que tudo ..até de nossa orelha que muitas vezes deveriam levar um belo puxão !! Quanto mais os toques a chamar maior a aceleração de nosso coração ..saudade é a lágrima de nosso coração apertadinho ,,esperando a voz de outro lado ! E posso te dizer algo : Estou com saudade de falar cntigo ,,,coração apertado !
    BEIJOSSS
    ANTONIO CARLOS TERRERI

    ResponderExcluir